Diabete Pode Afetar sua Audição

A ligação entre diabetes e perda auditiva

Pessoas portadoras de diabetes, têm duas vezes mais chances de desenvolver perda auditiva leve a moderada em comparação com pessoas sem diabetes. Esse é um número extremamente alto, que merece mais pesquisas. As evidências existentes apontam para a circulação sanguínea como o problema: o diabetes causa danos aos vasos sanguíneos, e uma boa circulação ajuda as células ciliadas da cóclea a captar sons. Quando essas células ciliadas começam a se deteriorar, ocorre perda auditiva neurossensorial.

O problema é que, uma vez danificadas essas células ciliadas (receptores sensoriais dos sistemas auditivos), elas não podem se curar ou se regenerar. A perda auditiva neurossensorial é permanente e só pode ser tratada ou atenuada com aparelhos auditivos. A perda auditiva neurossensorial também ocorre lentamente ao longo do tempo, dificultando a detecção.

Muitas pessoas não percebem que têm perda auditiva até serem seriamente afetadas pelo que perderam, e então é tarde demais para preservá-la. Isso faz da prevenção de perda auditiva a principal prioridade. Com o diabetes tipo 1, o gerenciamento correto da insulina é fundamental em termos de quantas complicações se desenvolvem e com que antecedência.

Como mencionado acima, o vínculo entre essas duas condições não foi intensamente pesquisado. À medida que aprendemos mais, será mais fácil combater a perda auditiva em diabéticos, mas, por enquanto, a prevenção e o tratamento são limitados. Os diabéticos devem tomar cuidado especial para monitorar sua audição, impedir a exposição ao ruído e compensar a perda auditiva, se ocorrer.

Para evitar a perda auditiva, você deve entender por que e como isso acontece. Embora existam diferentes tipos de perda auditiva, a perda neurossensorial é a mais comum e pode acontecer com qualquer pessoa. Essa também é a forma mais comum de perda auditiva entre os diabéticos. Quando somos expostos a barulhos altos, ele pode desgastar as células dentro da nossa cóclea. Após muitos danos, nossos ouvidos começam a ter problemas para detectar certos volumes e tons. Nos diabéticos, esse efeito é agravado pela má circulação e danos nos nervos.

Prevenção e detecção são os dois aspectos mais importantes no tratamento da perda auditiva. Conhecer os sinais de perda auditiva neurossensorial pode ajudá-lo a tratar o problema antes que ele comece a prejudicar sua vida.

Sinais de perda auditiva

Os sinais de perda auditiva neurossensorial são sutis, por isso é importante reconhecê-los quando puder. Muitos deles podem ser descartados ou atribuídos a outras condições, por isso é importante que os diabéticos permaneçam vigilantes e lembre-se de que a perda auditiva leve nem sempre é óbvia. Os sintomas e sinais de perda auditiva incluem:

  • Pedir às pessoas para se repetirem frequentemente
  • Precisando ligar o rádio, a música ou a televisão mais do que outros
  • Lutando para ouvir as vozes de outras pessoas
  • Problemas para entender o discurso em condições barulhentas, como festas, restaurantes ou salas cheias de pessoas
  • Sentindo-se incomumente exausto após reuniões sociais ou festas
  • Ter que se concentrar intensamente para entender as pessoas que falam
  • Zumbido nos ouvidos

Se você notar algum desses sintomas, considere fazer um exame auditivo. Nossa clinica de aparelhos auditivos realiza exame de audiometria.

TUDO SOBRE AUDIÇÃO

+10.000 assinantes curtem nosso conteúdo.